O BS2, banco digital com foco em empresas, acaba de anunciar um investimento no Grupo Bloxs, fintech que nasceu no crowdfunding e atualmente funciona como um ecossistema digital que conecta investidores e emissores. Os detalhes financeiros da transação e o tamanho da participação do banco não foram revelados.

O aporte se deu por meio de uma estrutura de dívida conversível. Envolveu a recompra de participações de sócios de saída e anjos, que deixaram a base de investidores. O objetivo é realizar um processo de “limpeza de captable essencial” para a futura rodada Série A da fintech, que deve ocorrer em breve. No grupo de investidores, o BS2 se junta à gestora de venture capital Domo, que investiu no negócio em 2020.

A compra de uma fatia da Bloxs coloca o banco digital de novo na ponta compradora das operações de fusões e aquisições (M&A, em inglês). Em 2023, o BS2 criou uma área de M&A e desenvolvimento corporativo, dirigida atualmente por Juliana Pentagna Guimarães, da família controladora do banco. Ainda no ano passado, a instituição trouxe o ex-XP Vinicius Bandeira como head da área.

“Temos como objetivo promover o crescimento do banco via parcerias e aquisições. Buscamos oportunidades disruptivas e com alto potencial para escalar e agregar valor ao BS2. Estamos muito animados com a chegada da Bloxs”, afirma Juliana, em nota. “Observamos companhias que se antecipam e assumem protagonismo no seu mercado de atuação, inserindo jornadas financeiras diversas em suas plataformas”, complementa Vinicius.

Há cerca de três anos, vale lembrar, o BS2 adquiriu a fintech de antecipação de recebíveis Weel, avançando no crédito para pequenas e médias empresas (PMEs). Ainda naquele 2021, o BS2 passaria a dar foco para o segmento PJ. Não à toa, transferiu a carteira de clientes pessoas físicas para o Next, do Bradesco.
‘Capital Market As a Service’

Com os recursos, a Bloxs pretende impulsionar o desenvolvimento da plataforma de Capital Market As a Service (CMaaS). O objetivo dessa solução é digitalizar e simplificar todo o processo de emissão de ações (ECM, na sigla em inglês) e de dívidas (DCM) para os diversos agentes de mercado desse tipo de operação, com uso de blockchain.

“Ganhamos não só um investidor de peso para acelerar nossa jornada de inovação tecnológica, como também um parceiro com expertise no desenvolvimento e oferta de produtos bancários, agregando uma vantagem competitiva à BCP [Bloxs Capital Partners, divisão de investment banking do grupo]” comenta Felipe Souto, fundador e CEO do Grupo Bloxs, em nota.

O acordo prevê, ainda, explorar sinergias entre BS2 e BPC. A ideia é que a instituição financeira possa suprir uma demanda das empresas atendidas pela BCP por produtos de crédito bancário. A parceria também vai permitir ao banco ampliar as alternativas de financiamento para seus clientes, com soluções estruturadas via mercado de capitais.

O anúncio do investimento acontece na mesma semana em que a Bloxs recebeu autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para atuar como coordenadora de ofertas públicas… leia mais em Finsiders Brasil 09/05/2024