O mercado brasileiro de fusões & aquisições em julho de 2021 levou a medalha de ouro. Quebra de recorde histórico, com 184 operações e crescimento de 75,2%

  • Os setores de Tecnologia da Informação; Telecomunicações e Mídia;  Hospitais e Laboratórios de Análises Clínicas Saúde foram os mais ativos no mês;
  • Os investidores nacionais predominaram;
  • No mês de julho foram realizadas 184 transações, aumento de 75,2% em relação ao mesmo mês do ano anterior e investimento de R$ 74,4 bilhões, com um crescimento de 163,8%;
  • No acumulado do ano, com 996 operações, representa crescimento 93,4% no volume e um investimentos de R$  427,3 bilhões correspondendo a aumento de 215,8% em relação ao mesmo período do ano passado;
  • Crescimento de 61,6% do acumulado dos últimos doze meses, 1.632 operações, comparado com o acumulado de um ano atrás;
  • Os investimentos realizados nas operações de porte superior a R$ 1,0 bilhão foram os que apresentaram o maior crescimento, de 252,7%, seguido pelos investimentos nos negócios de porte entre R$ 500 milhões e R$ 1,0 bilhão, que cresceram, 223,3%;
  • Valor médio das transações no acumulado do ano registra crescimento de 63,3% em relação ao mesmo período do ano passado;
  • Predomínio dos Investidores Estratégicos com crescimento de 87,6% no volume em relação ao acumulado do ano passado e crescimento de 319,2% nos investimentos;
  • Os investidores Financeiros registraram aumento de 103,8% no volume e crescimento de 130,7% no montante dos investimentos no acumulado do ano;
  • Investidores Nacionais com maior apetite no acumulado do ano, registraram 841 negócios, um crescimento de 106,6%, e o montante de R$ 339,9 bilhões, aumento de 79,5%;
  • No ano os Investidores Estrangeiros registraram 155 negócios, um crescimento de 43,5%, e aumento de 130,4% no valor dos investimentos;
  • Foram mapeados 23 negócios realizados por investidores de 8 países. Os EUA, com 11 operações e investimento da ordem de R$ 4,9 bilhões foi o de maior apetite;
  • Maior transação do mês de julho/2021 – BTG Pactual arremata controle de InfraCo da Oi por R$ 12,9 bilhões

ANÁLISE DO MÊS

Grau de concentração setorial

Os 5 setores mais ativos – TOP 5 – responderam no mês de julho/21 por 67,4% do total das operações, contra 75,2% no mesmo mês do ano passado, representando uma queda da participação dos 5 mais expressivos setores no processo de M&A

Crescimento de 17,9% do número de operações em relação ao mês anterior.

Foram divulgadas com destaque pela imprensa no mês de julho 184 transações em 28 setores da economia brasileira, registrando um crescimento de 17,9% em relação ao mês anterior ( 156 operações).

Confrontando com o mesmo mês do ano anterior, constata-se um crescimento de 75,2%, quando foram apuradas 105 negócios.

Evolução nos últimos 5 anos

No acumulado dos primeiros sete meses do ano de 2021, apuradas 996 operações, registra um crescimento de 93,4% se confrontado com igual período de 2020, quando foram realizadas 515 operações

Maiores apetites x maiores quedas.

Setores mais representativos no primeiro semestre do ano. No gráfico dos setores mais ativos no acumulado do corrente ano, além de TI, destacam-se Instituições Financeiras e Hospitais e Laboratórios de Análises Clínicas.

Na sua maioria apresentaram crescimento expressivo no volume de negócios em relação ao ano passado.

No acumulado do ano o segmento com maior crescimento no número de transações em relação o mesmo período do ano passado foi o de TI, com um aumento de 227 operações, seguido por Telecomunicações e Mídia e Instituições Financeiras.

Os setores que apresentaram maiores quedas no nº de transações no acumulado do ano, em relação ao mesmo período do ano passado, foram Imobiliário, Hotéis e Restaurantes e Serviços Públicos, com redução de 12, 6 e 4 respectivamente.

Crescimento do acumulado do volume de transações dos últimos doze meses.

Crescimento constante no acumulado do número de transações. Por conta do Covid-19, que estabeleceu incertezas e pessimismos durante os meses de março e abril/20, a retomada do crescimento do número de transações já ocorreu em jun/20, de forma regular e significativa.

Julho/21 registra crescimento de 5,1% do número de transações de M&A acumuladas nos últimos doze meses, com 1.632 operações, comparativamente com o mesmo período do mês anterior. Já em relação ao mesmo período acumulado do ano anterior – jul/20, o aumento é de 61,6%.

No gráfico do acumulado, pode-se inferir ciclos distintos de crescimento e queda do número de transações. Destacam-se prováveis fatores que mais estão repercutindo nas expectativas de investimentos. Há 16 meses, março/20, foi marcado como o início da pandemia no Brasil, refletindo de forma significativa na economia brasileira. Integra também o gráfico, (i) a evolução da série histórica do índice BOVESPA (desempenho das ações negociadas na B3), no mesmo período, e (ii) a evolução da taxa de câmbio.

Porte das transações

Das 184 transações apuradas no mês, 99 são de porte até R$ 49,9 milhões – 53,8 % do total e responderam por 1,8 % do seu valor. No acumulado do ano, para este mesmo porte de operações, registraram-se 566 transações representando 56,8% do total e 1,8% do valor. E impacta um crescimento de 76,3% em relação ao mesmo período do ano anterior.

O volume de transações acumuladas no ano de porte acima de R$ 1,0 bilhão, com 105 negócios, cresceu 200,0%.
A turbulência não reduziu o apetite dos investidores e especialmente para os maiores negócios o crescimento percentual está sendo o dobro dos menores, nos primeiros sete meses do ano.

Crescimento de 163,8% em julho, do montante dos investimentos em relação ao mês do ano anterior.

Quanto aos montantes dos negócios realizados no mês, estima-se o total de R$ 74,4 bilhões, com um crescimento de 163,8% em relação ao mesmo mês do ano anterior – considerando Valores Divulgados (83,4%) e Não Divulgados/Estimados (16,6%). Em relação ao mês anterior – junho, verifica-se uma queda de 7,6%% quando atingiu o montante de R$ 80,5 bilhões.

Crescimento de 215,8% do montante dos investimentos no acumulado do ano.
Quanto aos montantes dos negócios realizados no acumulado do ano estima-se o total de R$ 427,3 bilhões, representando um crescimento 215,8% em relação ao mesmo período de 2020.

Os investimentos realizados nas operações de porte superior a R$ 1,0 bilhão foram os que apresentaram o maior crescimento, de 252,7%, seguido pelos investimentos nos negócios de porte entre R$ 500 milhões e R$ 1,0 bilhão, que cresceram, 223,3%

* Observação: Em maio/21, foi corrigido o valor de uma transação no segmento de Telecomunicações, com a redução do montante de R$ 222,4 milhões.

Valor médio das transações

Valor médio das transações no acumulado do ano registra crescimento de 63,3% em relação ao mesmo período do ano passado.

O valor médio das transações realizadas no acumulado do ano alcançou R$ 48,9 milhões, contra R$ 262,7 milhões no mesmo período de 2020, representando um crescimento de 63,3%.
Por sua vez, o valor médio dos negócios de porte até R$ 500 milhões tiveram queda neste ano. E o valor médio que mais cresceu foi dos negócios acidade R$ 1,0 bilhão.

Predomínio dos Investidores Estratégicos

cresceram 87,6% no volume em relação ao acumulado do ano passado e de 319,2% nos investimentos –

O maior apetite neste mês ficou por conta dos investidores Estratégicos com 117 operações equivalente a 63,6%, e responderam por 60,5 % dos montantes investidos. No acumulado do ano, os Estratégicos, com 621 operações tiveram crescimento de 87,6% em relação ao ano passado, e responderam por 62,3% dos negócios e 59,9% dos investimentos, no montante de R$ 256,1 bilhões, o que significa um crescimento de 319,2%% em relação ao mesmo período do ano de 2020.

Os investidores Financeiros cresceram 103,8% no volume e de 130,7% no montante dos investimentos no acumulado do ano. Realizaram 67 operações no mês de julho num montante de R$ 29,48 bilhões. No acumulado do ano os investidores financeiros alcançaram 375 operações – crescimento de 103,8% – correspondendo a 37,7% dos negócios e 40,1% dos investimentos, no valor de R$ 171,2 bilhões, representando um crescimento de 130,2% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Investidores Nacionais com maior apetite

Investidores Nacionais com maior apetite no acumulado do ano, crescimento tanto no volume, de 106,6%, como no montante, de 249,1% . Os investidores de Capital Nacional foram responsáveis no mês por 161 operações, 87,5%, e investimento da ordem de R$ 62,5 bilhões, correspondendo a 83,9% do total. No acumulado do ano, os nacionais foram responsáveis por 841 operações – crescimento de 106,6% em relação ao ano anterior, e responderam por 84,4% das operações. O investimento foi da ordem de R$ 339,9 bilhões, o equivalente a 79,5% do total, correspondendo a um crescimento de 249,1 % em relação ao mesmo período do ano anterior.

Investidores Estrangeiros cresceram 43,5% no volume

No ano os Investidores Estrangeiros registraram crescimento de 43,5% no volume de transações e 173,0% no valor dos investimentos. Os investidores de Capital Estrangeiro realizaram no mês, 23 operações – 12,5% do total, no montante de R$ 11,9 bilhões – 16,1% do total. No acumulado do ano, os Estrangeiros com 155 operações registraram um crescimento de 43,5% – responderam por 15,6% dos negócios. Os investimentos alcançaram o montante de R$ 87,4 bilhões (20,5%), o que significa um crescimento de 130,4% em relação ao mesmo período do ano de 2020.

Importante mencionar que as informações disponíveis sobre os investimentos em relação aos IPOs, na B3, são tratados como de capitais nacionais na data da divulgacão deste relatório. Quanto a aportes de investimentos conjuntos de vários fundos de Private Equity, considera-se a nacionalidade do líder do bloco

No mês de julho/21, foram mapeados 23 negócios realizados por investidores de 8 países.

Os EUA com 11 operações foram os de maior apetite estrangeiro no mês e um investimento estimado em R$ 4,9 bilhões.

Maior transação do mês de julho/2021

BTG Pactual arremata controle de InfraCo da Oi por R$ 12,9 bilhões Em leilão, a proposta de R$ 12,9 bilhões do BTG Pactual pelo controle da InfraCo (a unidade de infraestrutura da Oi) foi homologada pela 7ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. A instituição financeira tinha direito de cobrir (right to top) outras…

QUEM, O QUÊ, QUANDO, QUANTO, COMO e POR QUÊ

A pesquisa FUSÕES E AQUISIÇÕES – DESTAQUES DO MÊS tem o propósito de captar o “clima” do mercado das operações de Fusões e Aquisições bem como sinalizar suas principais tendências. Trata-se da compilacão semanal das notícias visando tornar mais acessíveis e conhecidos os negócios de fusão, aquisição e venda realizados entre empresas com atuação no Brasil. Todas as informações sobre os negócios citados no presente relatório são obtidas a partir de notícias publicadas pela imprensa e divulgadas no “estado” pelo PORTAL FUSÕES & AQUISIÇÕES http://fusoesaquisicoes.com, não sendo feita qualquer verificação quanto à sua veracidade, precisão ou integridade do conteúdo. Sempre que possível, serão mencionados os nomes dos compradores – investidor estratégico ou fundos de private equity, dos vendedores, a tese de investimento e principais “value drivers”, o valor da transação, forma de pagamento, múltiplos praticados (Valor da Empresa/EBITDA, Valor da Empresa/Receita) etc. Muitas vezes a notícia não é clara a respeito dos valores/forma de pagamentos e respectivos múltiplos. É bem-vinda toda e qualquer contribuição para tornar as informações mais precisas e transparentes. Eventualmente podem ocorrer alterações nos dados estatísticos em razão de notícias mais recentes sobre detalhes da transação. Caso o conteúdo estiver em desacordo, nos contate que estaremos retirando o mesmo ou corrigindo a respectiva informação. PORTAL FUSÕES & AQUISIÇÕES.