Companhia pagará 4,25 euros por ação da Tecnocom: 60% em dinheiro e 40% em ações em poder da empresa, avaliadas em 9,8461 euros

A Indra, multinacional espanhola de serviços de TI que atua no Brasil, anunciou nesta sexta-feira, 2, uma oferta pública para aquisição de ações equivalentes a 100% do capital da Tecnocom. Para tal, a empresa firmou acordos com acionistas da Tecnocom que representam 52,7% do capital da empresa, cujo valor total é avaliado em 305 milhões de euros.

A fusão das empresas representa, com base nos balanços deste ano, uma receita líquida combinada de 3,14 bilhões de euros e um Ebitda recorrente de 243 milhões de euros (margem EBITDA de 7,7%), além de sinergias anuais totais estimadas em mais de 40 bilhões de euros.

Conforme os termos do acordo, a Indra pagará 4,25 euros por ação da Tecnocom, o que representa um prêmio de 12% em relação à cotação dos papéis no fechamento de 28 de novembro e um ganho de 28% em relação ao preço médio ponderado dos últimos três meses de cotação. A operação será feita por meio de uma oferta mista de dinheiro (60%) e ações da Indra (40%) avaliadas a 9,84 euros.

A Tecnocom é uma companhia espanhola de consultoria em tecnologias da informação e comunicações (TICs) com operações na Espanha, Portugal e América Latina e presença em nove países. A empresa tem mais de 6,5 mil empregados ─ 80% deles na Espanha. Ela forte atuação em negócios disruptivos críticos como sistemas de pagamento (90% das entidades financeiras espanholas são clientes da empresa) e uma importante presença local na América Latina e em outsourcing.

Em comunicado, a Indra diz que, com esta operação, reforça seu negócio de TI, sobretudo em serviços financeiros, um setor com um forte crescimento em soluções de valor agregado, bem como em outros setores de alto potencial. “A operação está totalmente alinhada com a estratégia da Indra de reforçar sua oferta de soluções próprias e em transformação digital, o que é especialmente relevante em soluções de sistemas de pagamento, tanto na Espanha quanto na América Latina”, acrescenta a nota.

Outro aspecto ressalto pela Indra é a base de grandes clientes complementar à sua carteira, o que sugere um alto potencial para o aumento de vendas cruzadas, consolidação em grandes contas e entrada em novos clientes, tanto de serviços financeiros quanto de outros setores. A operação também permitirá que aumente sua exposição ao setor privado, diz a empresa.

A operação está sujeita à aprovação das autoridades competentes, à aceitação de, no mínimo, 50,01% do capital da Tecnocom (excluindo os acordos irrevogáveis assinados por acionistas que representam 52,7% da Tecnocom), à aceitação de, no mínimo, 70,01% do capital social total e à aceitação por parte da assembleia geral de acionistas da Indra do aumento de capital relacionado à transação.

O fechamento do negócio está previsto para o segundo trimestre de 2017. Leia mais em computerworld 04/12/2016